O lado negro do limite de crédito bancário

Na hora do aperto, procurar o limite do crédito bancário pode ser uma saída, mas e para sair dele? Veja as facetas da linha de crédito pessoal mais usado do país..

Limite de crédito bancário, bom ou ruim? Quando um cliente vai ao banco com o intuito de abrir uma conta corrente, as facilidades e possibilidades de crédito que se abrem são inúmeras. O correntista pode ir ao banco com o simples desejo de abrir uma conta e sair da instituição financeira com um cartão de crédito em mãos e uma boa quantia no limite de crédito na sua conta.

O jargão utilizado pelas instituições financeiras que define esta prática é o tal do “crédito pré-aprovado”. Com um nome que soa tão bem aos ouvidos como este, fica meio difícil não querer, não é mesmo? Ainda mais se “crédito pré-aprovado” for de uma quantia generosa. O que muitos não pensam é no “outro lado”, o lado negro do limite de crédito.

Na maior parte dos casos, este “limite de crédito pré-aprovado” é calculado tendo em base uma análise do perfil financeiro do cliente. Mesmo assim, o correntista tem de ficar atento a um detalhe que em alguns casos acaba passando despercebido: os juros.

No caso do cartão de crédito, a armadilha fica por conta daquela velha história: o pagamento do valor mínimo. Pagar somente uma parte da taxa do cartão de crédito não anula a dívida. Muito pelo contrário, só faz com que ela aumente mais ainda. O pior é quando o cliente começa a ter o hábito de pagar o mínimo e continua a fazer outras compras antes de quitar a conta anterior. Vira uma bola de neve de dívidas e juros acumulados.limite de credito bancario

É bom tomar cuidado com os gastos no cartão de crédito. De acordo com dados do Site Calculando Dívidas, o valor médio da taxa de juros cobrada pelos bancos para o cartão de crédito é de 13% ao mês e 330% ao ano.

Outro serviço de crédito oferecido pelos bancos é o cheque especial. É a disponibilização de uma quantia na conta corrente do cliente além do que ele realmente possui. Exemplo: se o correntista tem R$ 200 reais na conta e seu limite no cheque especial é de R$ 500, aparece no saldo da conta corrente R$ 700. É preciso prestar atenção quando se tem este tipo de serviço para não acabar pensando que tem mais dinheiro do que efetivamente possui. É que alguns bancos somam o valor total entre limite e saldo real. Geralmente o valor livre do limite aparece antes.

É óbvio que este “empréstimo automático” não sai de graça. O valor que o cliente retirar do limite será cobrado juntamente com os juros do serviço. Ainda segundo o site Calculando Dívidas, o valor dos juros para o cheque especial é em média de 9% por mês e aproximadamente 200% ao ano.

Na hora do aperto, procurar o limite do crédito bancário pode ser uma saída. Mas é importante analisar a facilidade em resgatar este crédito e o valor dos juros que deverá ser pago posteriormente.

Comente aqui !